terça-feira, 28 de setembro de 2021

Autoinsustentável

1.000 dias e noites de pesadelos
e desgraças no Brasil...

Autoinsustentável.
E mesmo assim permanece
esta aberração!

A mão que move o fantoche
é invisível para mim.

quarta-feira, 4 de agosto de 2021

segunda-feira, 21 de junho de 2021

Meio milhão

(no último sábado, foram contabilizadas
mais de meio milhão de mortes
por COVID-19 no Brasil)

Meio milhão!
A conta não faz de conta
para os que vão.

segunda-feira, 14 de junho de 2021

Obscuridade

Obscuridade.
Em cem anos de segredo,
esconde-se o medo?

Nas faldas da covardia,
o que mais se encontraria?

segunda-feira, 3 de maio de 2021

Linhas do tempo

(para Lorena)

Desde muito o passado
desde pouco a nossa história
e de repente uma nova linha do tempo

Experiências
que podíamos ter vivido juntos
A vivência
que nos deu sentidos
O encontro
que nos trouxe ao mesmo tempo
E as diferenças
que nos amadurecem
As linhas do tempo em tessitura

O olhar para trás e para o agora
é o que as linhas mostram
em primeiro plano
mas há entrelinhas
e muitos outros planos
em que se tece
a coberta para o frio
e em que se fia
as linhas que ainda serão

quarta-feira, 28 de abril de 2021

terça-feira, 6 de abril de 2021

Esperança

Quem não enxerga um brilho de esperança
ao desejar os frutos da mudança?
E quem conserva o afã da ingenuidade
entre as bandeiras vistas nas cidades?

Priorizar a força das finanças,
em meio à dor fatal desta matança,
é incontestável: falta humanidade.
É crime vil, perversa atrocidade.

A quem mantém a besta no poder,
uma pergunta simples quer saber:
vocês não têm vergonha disso não?

O que mais querem dar a esta nação?
Minha esperança insiste e ainda tem
um brilho breve e muito querer bem!

Alguma vergonha

Alguma vergonha,
alguns se dizem sentir.
Caem tantas folhas!

quarta-feira, 31 de março de 2021