quinta-feira, 16 de junho de 2022

terça-feira, 7 de junho de 2022

domingo, 15 de maio de 2022

La Luna Roja (haiku)

(Un estudio en español)

El viento en la piel.
Aún me gusta saber
todo lo que pasa.

     -*-

Las primeras luces
se encienden en la calle.
Las sombras mezcladas.

    -*-

En la oscuridad.
Los pasos dados se han dados,
y no hay preguntas.

     -*-

Pasa la nube
y el viento la disuelve.
Conversaciones.

     -*-

La tierra desnuda.
Un espantajo olvidado
enmarca el recuerdo.

     -*-

No hay rumbo, nada.
El partisano camina
y rumia el tiempo.

     -*-

La noche sin viento.
El sonido de los sueños
se hace más fuerte.

     -*-

La gente en la plaza.
De algunas bocas, las voces,
de otras, los crujidos.

     -*-

La sangre en la tierra,
en la piel, en mi conciencia.
Miro al campesino.

     -*-
 
Y la luna roja
una vez más en mis ojos.
Oigo una canción.

sexta-feira, 6 de maio de 2022

Haibun do ocaso de outono

Na saída de casa, ela para viajar, ele para levar a cachorra a passear, a natureza convida à contemplação. O momento é delicado, uma triste apreensão os aflige. Admirada com a variação de tons, a filha vê o haicai e, mesmo sem o saber, dá de presente ao pai.

Para leste, azul,
e para oeste, amarelo.
Ocaso de outono!

quinta-feira, 14 de abril de 2022

terça-feira, 29 de março de 2022

quarta-feira, 23 de março de 2022

sexta-feira, 18 de fevereiro de 2022

A caça

- Poder. Influência. Proveito. Quase todo mundo quer. Mas estes não são os verdadeiros valores da vida.

- Peraí, cê tá dizendo que isso não tem valor? Ter poder, influenciar e colher proveito não são coisas importantes?

A conversa na última fileira de bancos da igreja corria quase aos sussurros, para não atrapalhar a missa. Ainda mais agora, durante o sermão.

- Se você pensar nos ensinamentos de Cristo, vai ver que nada disso é prioridade.

- Ah, mas naquela época era diferente...

- No que era diferente?

- O povo era bárbaro, não tinha instrução, não havia valores humanistas, tanto que crucificaram o cara.

O sermão já ia pela metade. Era uma missa especial, marcada para selar a paz entre a Cúria e um grupo de manifestantes antirracistas que havia feito um protesto contra o racismo ali, dias atrás, na igreja que foi construída por escravos e para os escravos, porque na época da construção não era permitida a entrada de negros nos outros templos.

- E ele foi crucificado porque se tornou uma ameaça ao poder do imperador...

- Sim, a morte na cruz era o castigo para os que desafiavam o império...

A missa da paz estava sendo rezada porque o bispo havia iniciado uma guerra contra os manifestantes que entraram na sua igreja levando faixas e clamando contra a injustiça racial. Cansados de esperar, eles quiseram clamar a Deus por justiça racial. Mas o bispo não admitia a petulância dos “invasores”, como os chamou. E sua reação à manifestação serviu de mote para uma emissora reacionária iniciar uma campanha pela cassação de um vereador negro que esteve no protesto. Mas houve questionamentos e alguém teve a ideia de rezar a missa, para fazer de conta que estava tudo bem, mesmo que o vereador petulante fosse cassado.

- Pois é, mas a impressão que eu tenho é que ele na verdade queria apenas a convivência pacífica entre os povos, cada um com sua diferença... Não merecia ser crucificado...

O bispo que fazia o sermão levantou a voz para afirmar que aquela igreja era a casa de Deus e de todos os filhos Dele. O bispo tinha boa aparência, estava corado até.

- Será que o bispo vai aliviar para evitar a cassação do vereador?

- Duvido.

- Por quê?

- Ele não criou esta situação à toa…

- É, concordo. Se ele quisesse evitar nem teria começado…

- Ele é bem relacionado com o grupo político adversário do vereador, não vai contrariar esses interesses…

- A igreja sempre esteve ao lado do poder, exercendo influência e tirando proveito disso…

- Incrível como ele consegue fazer essa encenação de paz à custa do sangue do outro…